Sérgio Santos: compositor reafirma em show e disco seu talento como intérprete

|

                                                   O cantor Sérgio Santos (no centro), em show no Sesc 24 de Maio

No show “São Bonitas as Canções” (ontem, no Sesc 24 de Maio, em São Paulo), o cantor e compositor Sérgio Santos interpreta um repertório recheado de clássicos de várias épocas da canção brasileira. E tem a seu lado um brilhante quarteto instrumental, formado por André Mehmari (piano), Nailor Proveta (clarinete), Rodolfo Stroeter (baixo acústico) e Tutty Moreno (bateria).

Curiosamente, no meio do show, o compositor mineiro – conhecido na área da MPB por elogiados álbuns autorais, como “Áfrico” (2002), “Iô Sô” (2008) e “Rimanceiro” (2013) – confessa que passou muito tempo resistindo à ideia de gravar um típico “disco de intérprete”. Por isso agradece a Mehmari, idealizador do projeto e produtor do disco que resultou nesse show.

Quem ouviu o álbum, lançado em 2019, sabe que não tinha como dar errado. Sérgio Santos escolheu belas canções que remetem às suas origens musicais e a compositores que o influenciaram, como “Tarde” (de Milton Nascimento e Márcio Borges), “Velho Piano” (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro) e “Choro Bandido” (Edu Lobo e Chico Buarque), canção cujo verso inspirou o título do álbum e do show, igualmente belos.

O acerto se completa com a escalação do quarteto, o mesmo que gravou o primoroso álbum “Dorival” (2017), com releituras instrumentais de canções do grande Caymmi. Graças à bagagem jazzística e à inventividade de Mehmari, Proveta, Stroeter e Moreno, as versões de Santos para essas pérolas da canção brasileira soam vivas e originais, tanto como disco como no palco.

“Precisamos manter a sensibilidade, especialmente num momento tão difícil como este que vivemos hoje. A sensibilidade leva à consciência e à reflexão”, disse Santos já quase ao final do show. Um recado que, pelo solidário calor das palmas da plateia, foi compreendido e aprovado.







Zerró Santos: baixista comanda 'Tarde de Jazz', com shows gratuitos em São Paulo

|

                                                               O contrabaixista Zerró Santos e o trombonista Bocato 

Uma dica para os fãs do jazz e da música instrumental, que vivem na cidade de São Paulo. Zérró Santos, contrabaixista e arranjador paraense que já dividiu palcos e gravações com grandes músicos brasileiros (de Johnny Alf a Paulo Moura), está à frente do recém-lançado projeto "Tarde de Jazz no Javari StrEat Park".

Ontem, no segundo show dessa série mensal, Zerró trouxe como convidado especial o trombonista Bocato, craque da cena instrumental paulistana, além dos jovens Fernando Amaro (bateria) e Igor Bollos (guitarra). No repertório desse quarteto, pérolas do jazz moderno, como “Footprints” (Wayne Shorter), “Maiden Voyage” (Herbie Hancock) e “Tenor Madness” (Sonny Rollins), em releituras que, em alguns momentos, ganharam intensidade e levadas típicas do rock.

O Javari StrEat Park 
 um descontraído espaço de 850m², que fica em frente ao estádio do Clube Atlético Juventus, no bairro paulistano da Moóca — define-se como uma “balada de família”. Sem cobrança de ingresso, nem couvert artístico, oferece música ao vivo de graça, bar com cardápio de cervejas e drinques, além de foodtrucks que servem pizzas e hamburgers.

O próximo show da série Tarde de Jazz está agendado para o último sábado de março (28/3), das 17h às 21h. Segundo Zerró Santos, o convidado especial será o conceituado baterista e compositor Duda Neves. Ouvir músicos desse quilate, de graça, é um privilégio.

Mais informações sobre o Javari Streat Park: 
facebook.com/javaripark/


Festivais em 2020: roteiro de eventos de jazz, blues, bossa e música instrumental no Brasil

|


Aqui você encontra um roteiro com as atrações musicais dos principais festivais brasileiros já anunciados para 2020. É atualizado regularmente para que fãs do jazz, do blues, da música instrumental brasileira, da bossa nova, do choro, do soul, do r&b e da black music possam se programar com antecedência.


                                                                  O pianista Aaron Parks, atração do Festival Amazonas Jazz

10.º Festival Amazonas Jazz
Quando e onde: novas datas a serem anunciadas, em Manaus (AM)
Atrações: Randy Brecker & Amazonas Band; Edsel Gomez Triunvirate; Aaron Parks Little Big; Leila Pinheiro & Amazonas Band; Trio Corrente; Ed Sarath; John Fedchock Sextet; Jeff "Tain" Watts Quartet; Frode Gjerstad Trio; Keyon Harrold Quintet; Mauro Senise & Gilson Peranzzetta; Amilton Godoy Trio & Gabriel Grossi;  Marcelo Coelho & McLav; Bruno Mangueira Quarteto; Daniel D'Alcântara Quarteto; Karine Aguiar & Jungle Jazz 
www.festivalamazonasjazz.com.br    

Bento Jazz & Wine Festival
Quando e onde: novas datas a serem anunciadas, em Bento Gonçalves (RS)
Atrações: Bixiga 70; Filó Machado; Renato Borghetti; Sambaranda e outras a serem anunciadas
https://www.facebook.com/bentojazzwine/ 

Buena Vista Jazz & Blues Festival
Quando e onde: novas datas a serem anunciadas, em Sete Lagoas (MG)
Atrações: Doctor Ray Blues Band; Thulio Viegas em "Beatles in Blues"; Blues Sem Seda 
www.sympla.com.br/buena-vista-jazz--blues-festival---sete-lagoas-2020__747627

17.º Rio das Ostras Jazz & Blues Festival
Quando e onde: de 11 a 14/6/2020, em Rio das Ostras (RJ)
Atrações: Roberto Fonseca, Vasti Jackson, Takuya Kuroda e outras a serem anunciadas
facebook.com/rostrasjazzblues/


7.º Bonito Blues & Jazz Festival
Quando e onde: de 11 a 13/06/2020, em Bonito (MS)
Atrações: a serem anunciadas 
www.facebook.com/events/576819212891947/

18.º Savassi Festival
Quando e onde: de 1.º a 9/8/2020, em Belo Horizonte (MG) 
Atrações: Antônio Adolfo Quinteto, Carol Panesi & Grupo, Marcos Paiva, Antonio Loureiro, Jamba Trio, Cliff Korman Trio, Jazz Trio Explorer, Daniel Grajew, Ellen Oléria & Alma Thomas, Chico Amaral, Cléber Alves, Juarez Moreira e Ari Borger Trio, entre outras
https://savassifestival.com.br/home/

Fest Bossa & Jazz
Quando e onde: em agosto de 2020, na Praia da Pipa (RN); em outubro de 2020, em São Miguel Gostoso (RN); datas a serem divulgadas 
Atrações: a serem divulgadas
www.festbossajazz.com.br

Poços É Jazz Festival
Quando e onde: de 13 a 15/11/2020, em Poços de Caldas (MG)
Atrações: a serem divulgadas
www.pocosejazz.com.br 

Canoa Blues
Quando e onde: em novembro de 2020, em Fortaleza (CE)
Atrações: a serem anunciadas
www.canoablues.com.br/o-festival2/



Festivais já realizados em 2020:

21.º Festival Jazz & Blues
Quando e onde: de 22 a 25/02/2020, em Guaramiranga (CE); dias 22 e 23/02/2020, em Aquiraz (CE); dia 27/02/2020, em Maracanaú (CE); de 27 a 29/02/2020, em Fortaleza (CE)
Atrações: Trio Corrente; Amaro Freitas Trio; Zélia Duncan & Jaques Morelenbaum; Nando Cordel; Yamile Burich & Ladies Jazz; Antonio Carlos Bigonha, Jorge Helder e Jurim Moreira; Duo Mitre,Nonato Lima & Sergio Groove, entre outras
facebook.com/festivaljazzeblues/  

5.º Gravatá Jazz Festival

Quando e onde: de 22 a 25/02/2020, em Gravatá (PE)
Atrações: Lorenzo Thompson, Breezy Rodio, JJ Thames, Derico, Serial Funkers, Mark Lambert, Tony Gordon, Moda de Rock com Ricardo Vignini, Bruno Marques e Di Steffano, Dudu Lima, Uptpown Band e outras atrações locais
www.facebook.com/gravatajazzfestival/

Festival EMESP de Jazz e Música Brasileira
Quando e onde: de 9 a 13/03/2020, no Theatro São Pedro, em São Paulo (SP)
Atrações: Mary Lou Williams Ensemble, Nailor Proveta (com Alessandro Penezzi), André Mehmari e Hércules Gomes
www.facebook.com/events/203158114106685/

10º Nublu Festival

Quando e onde: de 12 a 15/03/2020, no Sesc Pompeia (em São Paulo/SP) e no Sesc São José dos Campos (SP)
Atrações: Femi Kuti & The Positive Force, Yasiin Bey (Mos Def), John Cale, Nublu Jams (Ilhan Ersahin e músicos brasileiros), Goatface!, Otis Trio 7 & Negra Li, Juçara Marçal e Ifá
www.sescsp.org.br/programacao/27616_NUBLU+JAZZ+FESTIVAL#/content=programacao



Hamilton de Holanda: bandolinista toca repertório do álbum "Harmonize" em SP

|

                       Hamilton de Holanda (bandolim), Thiago Espírito Santo (baixo) e Mestrinho (acordeom) 


As chuvas insistentes de ontem (sábado, 1/02), que chegaram a alagar alguns pontos da cidade de São Paulo, não desanimaram a calorosa plateia que foi à comedoria do Sesc Pompeia. Não é todo dia que se tem o privilégio de ouvir ao vivo um brilhante quarteto de craques da música instrumental como o liderado pelo bandolinista Hamilton de Holanda.

Ao lado de Thiago Espírito Santo (baixo elétrico), Daniel Santiago (guitarra) e Edu Ribeiro (bateria), Hamilton exibiu o repertório de “Harmonize” (2019), seu primeiro álbum autoral lançado após os discos que dedicou à obra do mestre chorão Jacob do Bandolim e às belas canções de Milton Nascimento e Chico Buarque.

Composições como a doce “Canto da Siriema”, o samba “Alô Arlindo”, a lírica “Nasceu o Amor” ou a inventiva faixa que dá título ao álbum serviram de veículos para improvisos de Hamilton e seu quarteto, alguns bem descontraídos, outros mais nervosos.

Já com a entrada do sanfoneiro Mestrinho, em participação especial, a temperatura da noite chegou ao grau máximo. Na contagiante “Samba Blues”, os cinco brincaram com o parentesco e as afinidades musicais que o samba e o choro têm com o jazz e o blues. Uma “jam” com tempero nordestino que fez a plateia vibrar e pedir mais.



 

©2009 Música de Alma Negra | Template Blue by TNB